Fornecendo pequenas doações

FORNECENDO PEQUENAS SUBSÍDIOS

FORNECENDO PEQUENAS SUBSÍDIOS

Fornecemos pequenas doações para campanhas de direitos humanos para grupos de base globalmente.

Fornecemos pequenas doações para campanhas de direitos humanos para grupos de base globalmente.

APOIANDO NOSSOS MEMBROS

APOIANDO NOSSOS MEMBROS

A UNARC conseguiu apoiar 8 campanhas de membros em 2022. Aqui estão alguns deles:

Observatório Integrado da Cidade - Labjaca (Brasil):

Observatório Integrado da Cidade - Labjaca (Brasil):

LabJaca é um laboratório de pesquisa, geração de dados do cidadão e construção de narrativas sobre favelas e periferias, que busca traçar ações que representem as reais demandas dos moradores e instituições locais. 

LabJaca é um laboratório de pesquisa, geração de dados do cidadão e construção de narrativas sobre favelas e periferias, que busca traçar ações que representem as reais demandas dos moradores e instituições locais. 

Campanhas de mídia social e artigos

Chega de violência nas nossas favelas!

Nos últimos 15 anos, a cada 9 dias, um massacre foi cometido durante operações policiais no estado do Rio de Janeiro.

Violação do direito à privacidade

Depois que membros da equipe de pesquisa viram jovens entregando seus celulares aos policiais durante as batidas, uma pergunta sobre o assunto foi incluída no questionário. Muitos relatos foram ouvidos de policiais usando mensagens pessoais como forma de verificar se estavam ou não envolvidos com o tráfico de drogas.

Jacarezinho é o mais pobre desde o início da Cidade Integrada

A crescente insegurança e imprevisibilidade dos conflitos armados afastaram a clientela que antes acessava o vigoroso comércio local. Pessoas que vinham de outros bairros desapareceram.

Instituto lança 'Observatório Cidade Integrada' no Jacarezinho

O objetivo é produzir dados sobre as ações do governo e receber e encaminhar denúncias de moradores sobre possíveis abusos de policiais no programa.

Destruição do monumento em homenagem aos mortos na Chacina do Jacarezinho – NOTA OFICIAL do Observatório Cidade Integrada

A pesquisa foi realizada em Jacarezinho. Entre os ouvidos pela pesquisa, o 63% já disse ter visto policiais do programa roubando ou danificando itens das casas dos moradores ou foram eles próprios vítimas desse tipo de ação.

Jacarezinho mostra que moradores se relacionam: pesquisa

Uma pesquisa realizada com moradores do Jacarezinho, na zona norte do Rio de Janeiro, sobre os cinco meses do programa Cidade Integrada, indicou que a maioria dos entrevistados se sente mais insegura, denuncia batidas policiais em residências e já presenciou ou foi vítima de agressão por agentes do Estado.

O Impacto da Violência Policial no Direito à Saúde Mental dos Afrodescendentes Moradores das Favelas do Brasil - Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (Brasil):

O Impacto da Violência Policial no Direito à Saúde Mental dos Afrodescendentes Moradores das Favelas do Brasil - Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (Brasil):

O objetivo de Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (SMDH) é avaliar a implementação e eficiência das audiências de custódia para a redução da prisão preventiva no Maranhão, visando a percepção do grau de seletividade da violência e do sistema de justiça, que relaciona classe social, raça/cor e território.

A campanha Afrodescendentes Resistindo à Violência Policial: o impacto do policiamento militarizado na saúde mental da população negra que vive nas favelas do Brasil busca dar visibilidade às violações sistemáticas de direitos humanos (especialmente o direito humano à saúde mental) perpetuadas contra populações negras que vivem em áreas marginalizadas das cidades brasileiras, como as favelas.

O objetivo de Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (SMDH) é avaliar a implementação e eficiência das audiências de custódia para a redução da prisão preventiva no Maranhão, visando a percepção do grau de seletividade da violência e do sistema de justiça, que relaciona classe social, raça/cor e território.

A campanha Afrodescendentes Resistindo à Violência Policial: o impacto do policiamento militarizado na saúde mental da população negra que vive nas favelas do Brasil busca dar visibilidade às violações sistemáticas de direitos humanos (especialmente o direito humano à saúde mental) perpetuadas contra populações negras que vivem em áreas marginalizadas das cidades brasileiras, como as favelas.

Conta portuguesa do Instagram

Campanha antirracista em defesa dos direitos humanos

Conta do Instagram em inglês

Campanha antirracista em defesa dos direitos humanos

Violência policial militarizada nas favelas

João Pedro tinha 14 anos e tinha toda a vida pela frente. Até 18 de maio de 2020, quando foi morto após sua casa ser invadida por policiais que participavam de uma operação conjunta no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, na região metropolitana do Rio de Janeiro, entre as Polícias Civil e Federal.

Campanha Antiracismo lança documentário sobre resistência à violência policial no Rio de Janeiro em 3° Webinar

Uma produção audiovisual marcante que conta histórias maternais de quem (sobre)vive em meio à extrema violência militarizada nas favelas do Rio de Janeiro.

Reproduzir vídeo
Campanha Antirracismo entrevista Rômulo Mafra, especialista em saúde mental da população negra

Rômulo usa suas redes sociais para falar sobre o tema, voltado para a população negra. Durante a entrevista ele falou sobre o papel e o dever do Estado diante da violência extrema nas comunidades, falou sobre relacionamentos e afetos, e apresentou como a psicologia atua no lado emocional da população negra.

Rostos por trás da brutalidade policial - Justicia Racial (Colômbia)

Rostos por trás da brutalidade policial - Justicia Racial (Colômbia)

O Coletivo de Advogados da Justiça Social, organização sem fins lucrativos de direitos humanos focada em questões de discriminação racial e racismo, com foco especial na defesa de vítimas de abuso de autoridade, concordou em apresentar um relatório sobre a investigação de assassinatos cometidos por membros da aplicação da lei contra jovens afro-colombianos.

O Coletivo de Advogados da Justiça Social, organização sem fins lucrativos de direitos humanos focada em questões de discriminação racial e racismo, com foco especial na defesa de vítimas de abuso de autoridade, concordou em apresentar um relatório sobre a investigação de assassinatos cometidos por membros da aplicação da lei contra jovens afro-colombianos:

Vídeos e bobinas

Assista o carretel aqui

Assista o vídeo completo aqui

Violência policial racista e o fortalecimento da abordagem de gênero no trabalho do mecanismo internacional de especialistas independentes - ILEX (Colômbia)

Violência policial racista e o fortalecimento da abordagem de gênero no trabalho do mecanismo internacional de especialistas independentes - ILEX (Colômbia)

Ilex Ação Jurídica é uma organização da sociedade civil liderada por advogadas afrodescendentes, com o objetivo de promover estratégias de ação jurídica, comunicação e pesquisa social com uma abordagem interseccional, para contribuir para o gozo efetivo dos direitos das comunidades e indivíduos afrodescendentes na Colômbia.

Ilex Ação Jurídica é uma organização da sociedade civil liderada por advogadas afrodescendentes, com o objetivo de promover estratégias de ação jurídica, comunicação e pesquisa social com uma abordagem interseccional, para contribuir para o gozo efetivo dos direitos das comunidades e indivíduos afrodescendentes na Colômbia.

Mídia social

Um clamor por justiça para afrodescendentes LGBTIQ+ que foram vítimas de violência policial

Exigimos que o Estado proteja a vida das pessoas LGBTIQ+ na Colômbia!

A violência contra a mulher negra é um problema transnacional

Na Colômbia, Brasil, Estados Unidos e Trinidad e Tobago, mulheres e meninas afrodescendentes que vivem em comunidades racializadas e militarizadas, mães, pessoas que se identificam como LBTQI+, particularmente mulheres trans envolvidas em trabalho sexual, mulheres defensoras e líderes comunitárias, vivenciam quantidades desproporcionais de alienação social e negligência e violência patrocinada pelo Estado que geralmente assume a forma de brutalidade policial.

Minidocumentário - Violência Policial Racista

Mapeamento da (In)Justiça- Caiso: Sexo e justiça de gênero (Trinidad e Tobago)

Mapeamento da (In)Justiça- Caiso: Sexo e justiça de gênero (Trinidad e Tobago)

Caiso- Sexo e justiça de gênero é uma Organização da Sociedade Civil feminista comprometida em garantir integridade, justiça e inclusão para as comunidades LGBTQI+ (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transgêneros, Queer e Intersexuais) de Trinidad e Tobago, desenvolvendo análises, alianças e advocacia.

Caiso- Sexo e justiça de gênero é uma Organização da Sociedade Civil feminista comprometida em garantir integridade, justiça e inclusão para as comunidades LGBTQI+ (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transgêneros, Queer e Intersexuais) de Trinidad e Tobago, desenvolvendo análises, alianças e advocacia.

Mídia social

Rádio e jornal

OUTRAS CAMPANHAS APOIADAS PELA UNARC

  • Negros querem viver sem serem alvos de violência

    Rede Nacional De Mulheres Negras no Combate à Violência (Brasil).

  • Nós somos pessoas

    Groundation (Trinidad e Tobago)

  • Direitos em risco

    Associação Caribenha para o Desenvolvimento da Juventude (Granada)

O que é UNARC?